CBD (Canibidiol): 

O canabidiol é uma substância encontrada na canábis sativa ou maconha, mas que não possui toxicidade se isolada.

É legal em mais de 40 países e pesquisas têm mostrado a sua eficácia no tratamento de dores crónicas, espasmos musculares, convulsões e ansiedade.

Sendo uma planta nativa da Ásia, essa espécie contém mais de 400 compostos químicos, dos quais mais de 120 deles são chamados de canabinóides. Os mais importantes são o tetrahidrocanabinol (THC) e o canabidiol (CBD).

Quais são as diferenças entre THC e CBD?

O THC é um composto psicoativo: substância química que age no sistema nervoso central de quem a consome e causa alterações na função cerebral. Essas alterações interferem temporariamente no humor, consciência, comportamento e perceção do indivíduo.

Já o CBD não é intoxicante e não provoca nenhuma alteração da perceção da realidade. Apresenta um grande potencial terapêutico para o tratamento de doenças psiquiátricas ou neurodegenerativas, como a esclerose múltipla.

Apesar de ainda ser um tabu, a discussão sobre o uso da Cannabis medicinal está cada vez mais difundida.

Para que serve o CBD?

Os produtos à base de CBD atuam sobretudo nos recetores canabinoides CB1 e CB2: basicamente proteínas encontradas por todo o corpo humano. É uma opção segura de tratamento para diversas doenças graves e difíceis de serem tratadas de outra maneira.

Atualmente o canabidiol é prescrito para o tratamento da dor e sintomas da esclerose múltipla – uma doença neurológica que não tem cura e pode se manifestar por diversos sintomas, como: fadiga intensa, depressão, fraqueza muscular, alteração do equilíbrio da coordenação motora, dores articulares, disfunção intestinal e da bexiga.

Além disso, muitas pesquisas realizadas (e inúmeras ainda em andamento) apontam o potencial terapêutico do CBD para o tratamento de patologias como:

     •     Esquizofrenia

     •     Mal de Parkinson

     •     Epilepsia

     •     Ansiedade

     •     Alzheimer

     •     Enxaqueca

     •     Hipertensão

     •     Transtorno do espectro autista

     •     Fibromialgia

Também já existem testes em andamento para estudar o uso do CBD no tratamento de cães com epilepsia.